275973318_2418383191626375_4154654224749987883_n
279721099_2460226147442079_602445853485673393_n
309378358_2579318172199542_8993411672138523208_n
sfb_8221
previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow

A Bibliotheca Pública Pelotense é um patrimônio cultural da comunidade pelotense. Fundada em 1875, trouxe intensa contribuição para a formação da sociedade pelotense, época em que a cidade de Pelotas começou a se destacar no país por sua cultura, juristas, músicos, artistas, historiadores, médicos e professores.

Criada para bem mais que uma casa de livros, e sim um importante espaço cultural e educacional para a comunidade local, a BPP foi palco de saraus, exposições, palestras, entre outros eventos. Nela surgiram Clubes Abolicionistas, diversas entidades sociais e culturais e outra série de projetos em benefício do povo pelotense. Ela também abrigou diversas instituições, como a Escola Superior de Direito, o Conservatório de Música e a Escola de Belas Artes. De 1878 até a década de 1940, foi também um espaço destinado à educação formal através dos Cursos Noturnos de instrução primária que pretendia a alfabetização de adultos vindos das classes populares. Na década de 1910, o trabalho no campo da educação desenvolvido pela Bibliotheca cresce com o surgimento da Escola Prática de Comércio e da Escola de Artes e Ofícios, predecessor do Instituto Federal Sul Rio-grandense, o IF-SUL. Contudo, o incentivo à educação não ficou limitado a essas ações. Por isso, em 1952, a BPP buscou em São Paulo a professora Lory Huber para fundar um Setor educativo voltado a pessoas com deficiência visual. Surge, nesse momento, o embrião da atual Escola Louis Braille.

Mas é no ano de 1946, no dia 11 de maio, que se localiza uma das ações mais importantes da Bibliotheca Pública Pelotense para a formação de novos leitores. O convidado é Erico Veríssimo e o evento, o lançamento da Sala Infantil da BPP, destinada a atender o público juvenil. Como evento principal ocorria a “Hora do Faz de Conta”, conduzido por pessoas especializadas em literatura infantil. Com grande sucesso, o programa se mantém em plena atividade até os dias atuais.

 

O que faz o programa A Hora do Faz Conta?

Incentiva a leitura, a imaginação, a criação e a integração social.

Proporciona um ambiente convidativo à leitura e o estímulo a utilização do acervo.

Apóia, como ambiente não-formal de ensino, o desenvolvimento e o alcance da educação na comunidade.

Estimula a formação integral do indivíduo.

A atividade

Etapa 1 – Planejamento

O ponto de partida de qualquer atividade do programa A Hora do Faz de Conta é o planejamento. Aqui o importante é ter claro o que se quer alcançar, quais são os objetivos, qual a visão e a identificação ideológica do programa. Esses são os norteadores que apontam os caminhos a serem seguidos e as indicam metas a serem alcançadas.

Etapa 2 – Contato

A relação com o outro é a base do sucesso do programa. Portanto, conhecer as escolas parceiras, as pessoas envolvidas no ambiente escolar e suas necessidades é fundamental. Assim, desde os primeiros meses de cada ano, dedica-se tempo exclusivo para visitas e acompanhamentos à rede escolar local.

Etapa 3 – Estruturação

O processo educativo bem como o de aprendizagem não é estanque, ao contrário, é dinâmico, progressivo e interdisciplinar. Por isso, cada atividade do programa A Hora do Faz de Conta não é igual a outra. É necessário que cada atividade seja construída de acordo com seu público alvo. O livro, a narração, a caracterização, a proposta de atividade interativa e lúdica são pensados e elaborados de forma específica e direcionada.

Etapa 4 – Executar

A atividade do A Hora do Faz de Conta começa desde o contato com a Escola e só se encerra quando a avaliação é realizada. Nesse interstício, no dia da atividade, que tem duração de 1h30, acontece a caracterização do contador de acordo com a história a ser trabalhada, a acolhida à escola participante, a contação do livro e a atividade lúdica. Em momentos especiais acontece visita guiada ao Museu da BPP.

Etapa 5 – Avaliar e Inovar

Ao fim de cada atividade, convida-se à escola participante a avaliar, a partir de um formulário padrão, os mais diversos aspectos do Programa. Essas informações somadas a constante pesquisa na área colaboram para a permanente atualização e inovação do projeto.

Atividades especiais

O Programa A Hora do Faz de Conta não reconhece fronteiras. A cada ano realiza uma série de atividades para além da programação ordinária das terças e quintas-feiras à tarde. Desde 2011 foram realizados espetáculos teatrais infantis, como a peça Caça ao Tesouro, exposição e varal literário, atividades folclóricas, atividades integradoras com pessoas com deficiência visual e intelectual – esta última deu origem ao projeto Amigos da Lolô – participação na Feira do Livro de Pelotas e em eventos e projetos propostos por outras instituições, como o projeto A Hora do Conto do SENAC.

Como agendar uma atividade?

Escolas e grupos infantis e juvenis interessados em participar da A Hora do Faz de Conta deverão entrar em contato com a BPP pelo telefone (53) 32223856 ou pelo e-mail [email protected]

Objetivo

Com objetivo de formar novos leitores, o programa A Hora do Faz de Conta mantém atividades com diversas escolas de educação infantil e do ensino básico, tornando-se referência para outras iniciativas semelhantes na cidade de Pelotas e região. O programa visa também à acessibilidade e integração de crianças e adolescentes com deficiência, como forma de colaborar na formação cidadã de cada indivíduo.

O que faz o programa A Hora do Faz Conta?

Incentiva a leitura, a imaginação, a criação e a integração social.

Proporciona um ambiente convidativo à leitura e o estímulo a utilização do acervo.

Apóia, como ambiente não-formal de ensino, o desenvolvimento e o alcance da educação na comunidade. Estimula a formação integral do indivíduo.

Atividades especiais

O Programa A Hora do Faz de Conta  realiza uma série de atividades para além da programação e desde 2011 realiza espetáculos teatrais infantis, atividades folclóricas, atividades integradoras com pessoas com deficiência visual e intelectual – esta última deu origem ao projeto Amigos da Lolô.

Como agendar uma atividade?

Escolas e grupos infantis e juvenis interessados em participar da A Hora do Faz de Conta deverão entrar em contato com a BPP pelo telefone (53) 32223856 ou pelo e-mail [email protected]