Publicação23 

 

A hora do faz de conta

Criada para bem mais que uma casa de livros, e sim um importante espaço cultural e educacional para a comunidade local, a BPP foi palco de saraus, exposições, palestras, entre outros eventos. Nela surgiram Clubes Abolicionistas, diversas entidades sociais e culturais e outra série de projetos em benefício do povo pelotense. Ela também abrigou diversas instituições, como a Escola Superior de Direito, o Conservatório de Música e a Escola de Belas Artes. De 1878 até a década de 1940, foi também um espaço destinado à educação formal através dos Cursos Noturnos de instrução primária que pretendia a alfabetização de adultos vindos das classes populares. Na década de 1910, o trabalho no campo da educação desenvolvido pela Bibliotheca cresceu com o surgimento da Escola Prática de Comércio e da Escola de Artes e Ofícios, predecessor do Instituto Federal Sul Rio-grandense, o IF-SUL. Contudo, o incentivo à educação não ficou limitado a essas ações. Por isso, em 1952, a BPP buscou em São Paulo a professora Lory Huber para fundar um Setor educativo voltado a pessoas com deficiência visual. Surge, nesse momento, o embrião da atual Escola Louis Braille.

Mas é no ano de 1946, no dia 11 de maio, que se localiza uma das ações mais importantes da Bibliotheca Pública Pelotense para a formação de novos leitores. O convidado é Erico Veríssimo e o evento, o lançamento da Sala Infantil da BPP, destinada a atender o público juvenil. Como evento principal ocorria a “Hora do Faz de Conta”, conduzido por pessoas especializadas em literatura infantil. Com grande sucesso, o programa se mantém em plena atividade até os dias atuais.
 

Amigos da Lolô

A necessidade para um projeto que atendesse a pessoas com deficiência intelectual (PDI) na fase adulta da vida, surgiu de uma conversa informal com a senhora Maria de Fátima Cunha, mãe da Lorena Cunha Prado, a Lolô. Dessa conversa, constatou-se a carência de alternativas culturais, educacionais e de lazer para um grupo expressivo de PDI na cidade de Pelotas. Assim, a BPP, fundada nos pilares da promoção universal da cidadania, educação e cultura, estruturou, tendo como referência seu programa A Hora do Faz de Conta e sua política de inclusão e acessibilidade, uma rodada de conversas com pais e responsáveis de PDI Adultos e diversas atividades culturais e recreativas nas sextas-feiras à tarde (16h às 17h30) com os amigos mais íntimos da Lolô. As experiências e o sucesso das atividades com esse grupo acabou dando identidade e fundamentação ao projeto e o denominando.
 

Documentação e pesquisa

O CDOV tem recebido solicitações de atendimento via e-mail e telefone por parte de pessoas e empresas de outros municípios. Em alguns casos, a reprodução de um documento; em outros, pesquisa no acervo e até em fontes externas.
Pela característica de seu acervo, na maioria dos casos a BPP é a única fonte de informação dos potenciais usuários.
Por isso, considera-se necessário o estabelecimento de prestação de mais este serviço, especialmente quando há demanda de pesquisa nos guias e/ou consulta aos documentos.
 

Grupo Literário da BPP

Em 2009, encerra-se o Laboratório de Escrita de Hilda Simões Lopes e os integrantes do grupo, todos contagiados com o vírus da Literatura, sentem um grande vazio. Viver sem a leitura e a reunião para discutir os textos e as descobertas em cada parágrafo ou capítulo, seria basicamente impossível para estes amantes da leitura.
A solução que o grupo encontrou foi marcar novas reuniões. Em conversa com a direção da Bibliotheca Pública Pelotense, os escritores contaram da necessidade de encontrar um novo espaço para retomar o trabalho das oficinas. O resultado não poderia ter sido melhor. Foi cedido um espaço e surge então em 2010, o Grupo Literário da Bibliotheca.
Os encontros do grupo de escritores ocorrem quinzenalmente, sempre às quintas-feiras, para ler contos de autores consagrados em português e espanhol, discutir estilos e enredos e criar e apresentar ao grupo os textos criados para avaliação.

 

Sarau Poético Musical da BPP

O Sarau Poético Musical da Bibliotheca Pública Pelotense existe desde maio de 2010 com edições mensais sempre na última terça-feira do mês. Durante o encontro, convidados lembram a trajetória do autor homenageado na edição e recitam poesias e textos. No final, o programa prevê a participação do público que pode recitar poesias de sua autoria. A atividade é entrelaçada por inserções musicais. Sempre às 19h30min e tem aproximadamente duas horas de duração. Entrada franca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *